Páginas

Outra vez, nós.


Eu não sei explicar direito, mas depois de todo esse tempo, percebi que te ver ainda deixa as minhas pernas bambas e meu coração freneticamente palpitante. Aí você vem de mansinho, com todo esse teu charme e esse teu jeito que me tira de chão e me faz suspirar, segura a minha mão e sussurra aquelas mágicas palavras nos meus ouvidos: Eu sinto a sua falta. Posso até ter silenciado, mas no brilho dos meus olhos estava escrito "Eu também sinto". E sinto mesmo, não sou capaz de negar. Você... Você que deixou a minha pele morna no inverno, que soprou frio em minha nuca no verão, que trouxe o brilho do sol para minhas noites e o aconchego escuro da noite para os meus dias. Com você tudo era diferente e depois que você foi embora, os dias não passavam de dias, as noites sempre escuras, o verão sempre quente e o inverno sempre frio. Tudo perdeu a graça, sabe? E eu acabei por me habituar a viver assim, em meio ao comum. Eu te arrancava sorrisos, mesmo na dor... Eu te fazia chorar com as minhas palavras doces e apaixonadas, mesmo que tudo fosse só alegria. A cada semana um fragmento de você ia se esvaindo de mim, e mesmo que eu não quisesse, eu sabia que era preciso. A dor de te guardar completamente era in-su-por-t.á-vel. Porém, me enganei ao pensar que você tinha partido completamente. Mesmo sem as nossas antigas fotos, as lembranças aqui ficaram dentro de meu peito e de minha memória. Maldito orgulho que não me deixou te procurar, que não te deixou me procurar. O orgulho, o orgulho que foi superado pela linha do destino que num dia comum me fez esbarrar em você no meio da multidão, mais uma vez. Você lembra? Lembra do dia em que nos conhecemos, da conversa que tivemos? Dois loucos chorando na mesa de um bar, um contando sua história para o outro, afogando no fundo de um copo de whisky  os nossos desamores. Lembra do primeiro beijo e da primeira flor que me deu? Do primeiro verso de Shakespeare que citou? Facilmente você me conquistou. Um romântico, um boêmio, um louco, uma barba mal-feita. Nós éramos tão parecidos... Os mesmos medos, as mesmas inseguranças, o ciúme, as brigas, a dolorosíssima  despedida. Nós somos tão parecidos... Um abraço, um olhar, algumas palavras e a certeza de que juntos devemos novamente ficar, agora definitivamente, talvez, quem sabe, para sempre. Outra vez você, outra vez nós. Não quero mais cometer os mesmos erros, chorar pelas mesmas dores, calar pelos mesmos motivos ou ter medo de provar os seus tantos amores, sabores... Eu quero te dizer tudo aquilo que eu não disse, gritar sussurrando diariamente em seus ouvidos, que apesar do tempo e de tudo, sim, eu te amo muito.



"Este infinito amor de um ano faz, que é maior que o tempo e do que tudo, este amor que é real e que, contudo eu já não cria que existisse mais."





10 colecionadores!:

  1. Nossa, hoje to num dia emotivo e certamente nw consegui esconder as lágrimas lendo seu texto Railma, é eu choro fácil.
    Bom o amor, aah o amor, nada melhor do que ele pra nos inspirar assim. lindo demais, adorei, beijos e eu tava com saudade daqui :/

    ResponderExcluir
  2. Me agradou com esse texto. Sim, sou homem, sou hetero, e falo sem medo: Tu me agradou, e muito, com esse texto.
    Gosto de ser romântico com minha namorada, fazer basicamente o mesmo tipo de texto, e esse foi bem escrito, e ao que parece e o que importa: Sincero.
    Bom, se eu entendi certo (se é que é um texto"real"), então você voltou com ele, logo te desejo toda a sorte do mundo. Só por ter tido coragem de largar seus sentimentos dessa forma, você merece.

    ResponderExcluir
  3. Esse texto me fez sorrir desde o início ao fim, gosto desse tipo de reencontros inesperados e que fazem as pernas tremerem. É nesses momentos que acabamos descobrindo que aquele amor que tanto lutamos para superar ainda está lá, guardadinho num lugar do nosso coração apenas esperando a hora para voltar a pulsar.
    Não tem como negar quando se ama, sentir saudades e a necessidade de ficar perto de alguém, nós precisamos aprender que amar é isso, pensar que superou e se ver perdida novamente nos braços daquele alguém.

    Simplesmente AMEI esse texto *-*
    Beijinhos :*

    ResponderExcluir
  4. E outra vez me pego surpreso com seus textos.
    Emotivo, sincero, praticamente real! ;)

    Pequenina, continua adiante com suas escritas que continuo a te ler e admirar-te mais ainda!

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. O lay combinou muuuito com aqui ein? sucesso gata.

    ResponderExcluir
  6. Lindo!!!
    Você me jogou no meio do teu texto e me fez relembrar alguns bons momentos meus. Rejuvenesci lendo!

    ResponderExcluir
  7. - algumas dessas palavras já foram reais em minha vida.
    você abriu um baú de recordações em minha cabeça, Railma :) me mostrou também que, quando vivi tal situação, achei que havia chegado ao meu limite e fim, mas é como dizem: "nada como um dia após o outro".
    grande beijo :*

    ResponderExcluir
  8. Que lindo texto, realmente trás muitas lembranças,adorei Railma ;]
    sucesso.
    http://garotasnasruas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Nossa, como vc consegue encontrar exatamente as palavras perfeitas para expressar sentimentos?
    Texto muito lindo e muito bem escrito!
    Parabéens..

    beijos *-*'

    ResponderExcluir