Páginas

A lágrima que não caiu.





Mais uma sexta-feira fria, fria... Esse inverno parece não ter um fim! Meus amigos preparam-se para sair enquanto permaneço aqui com meu moletom cinza-claro e uma xícara de café ao alcance das mãos. Ando acomodada demais, com preguiça demasiada de bancar a adolescente fútil e dentro do padrão. Falta-me paciência para conhecer pessoas, me falta disposição para montar em um salto alto e usar todas as máscaras disponíveis em meu estojo de maquilagens. Mas você já sabe disso, ao menos disso você sabe! E que eu sinto sua falta, você sabe? Que eu jogaria tudo pro alto por um sorriso seu? Não sabe, não faz idéia. Refiz nossos caminhos e revivi nossos momentos em sonhos, um por um.
Você me puxou fortemente contra seu peito e de mim roubou um beijo, o mais maravilhoso de todos. Mal sabia eu que ao desprender-me de seus braços deixaria contigo meu coração... Saí cambaleando naquela noite, minhas pernas mal obedeciam aos comandos do meu cérebro e com os dedos da mão direita sobre os lábios, eu não sabia o que se passava dentro de mim...  Gostaria de te dizer que as poças daquelas ruas ainda refletem nossos rostos frente um ao outro numa distância quase imperceptível. Ainda refletem minha mão direita e a sua esquerda, sempre unidas... Refletem nossos sorrisos e todos os nossos sonhos. Dentre tantas imagens belas, contrasta fortemente o nosso adeus, a tempestade vinda de seus olhos e decorrente delas, mais algumas poças. Em meu rosto um sorriso forçado e o esforço enorme para não piscar os olhos, para não deixar chover em meu rosto, para não formar mais poças naquela rua (agora tão sombria...). Eu não podia, não suportaria viver temendo a mais um de seus vôos, mais uma de suas partidas. Não suportaria a angústia de esperar que uma asa fosse ferida para poder te cuidar e não acreditava que daquela vez fosse diferente. Pois bem, após ver um oceano em teu olhar acreditei e era tarde demais para voltar atrás... Aprendi a conviver pacificamente (ou não) com a saudade, que já não é mais tão cortante assim. Aquela noite está guardada em meu peito e junto ao embrulho está a lágrima que não caiu, o orgulho que prevaleceu e como conseqüência, toda a dor. Em noites assim, após xícaras e xícaras de café (ou algumas taças de vinho) o peso que carrego do lado esquerdo vai subindo, vai subindo e subindo até ficar preso na garganta, me impossibilitando de dar o goto. Pouco a pouco ele vai descendo e um por um, escorrendo. Espero que um dia cheguem até você todos os sentimentos não demonstrados, todo o meu ciúme retraído e todas as lágrimas que inundam as entrelinhas destas palavras. 

Para finalizar toda a nostalgia, a mais marcante de todas as poças:



Então me olhou sorrindo enquanto amarrava em meu dedo uma pequena fita de cetim azul-como-seus-olhos.

- Por que está fazendo isso? - Perguntei.
- É para que você nunca se esqueça de mim.


Funcionou





14 colecionadores!:

  1. Que lindo! Cada detalhe descrito minuciosamente faz com que cada um que leia se enxergue ali, na mesma cena. Você escreve bem, adorei o texto. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Faço minhas as palavras da Pamela à cima: "Nossa que final.. Incrível."

    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Primeiro eu pensei, poxa tá muito grande, mas vamos lá. Então fui lendo, lendo e o diálogo no finalzinho gostei muito fofa.
    Além disso essa carta, não sei bem, lembrou-me muito o livro "Memórias de uma Gueixa", quase no final...é bem assim.
    Lindo msmo

    P.s. Pegarei o diálogo no final e colocarei no tumblr, claro que com os devidos créditos. Se permitir.
    bj

    ResponderExcluir
  4. Qe lindooooooooo !
    Perfeito...
    Me identifiquei muito, viu.
    sempre vou vir aqui ler oqe há de bom (:
    beijos pra vooc ;*

    ResponderExcluir
  5. Só quem já amou um dia e foi obrigado(a) a esquecer sem querer... Sem conseguir, sabe como é olhar as poças e ver reflexos de um passado, tão presente dentro da gente. Involuntário e dolorosamente presente dentro da gente.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  6. Fantástico...

    De verdade, me emocionei...

    Seguindo...

    Beijos

    http://manisfreitas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Fascinante! A duvida continua...a fita ainda está amarrada?? rs

    =***

    ResponderExcluir
  8. Toda lágrima que não cai fica pra sempre em nós, grudadas com um sentimento que não gritamos.
    Seu texto é perfeito, adorei s2

    ResponderExcluir
  9. Aw. Que lindo. Cheio de detalhes, fazendo-me imaginar cenas. :3



    http://www.worse-or-better.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. eu já vim nesse blog e não sei porque não segui. O texto é lindo, não tem o que falar, você escreve muito bem.
    Beijos, ansiosa pelo próximo post *-*

    ResponderExcluir
  11. Essas promessas que não se cumprem, esses amores que nos machucam... esses versos tão verdadeiros quanto a lua são só para dizer a mesma coisa. Que continuamos amando e desejando desesperadamente sermos correspondidas. Essa é a mágica, mesmo que dolorosa, da vida.

    ResponderExcluir
  12. texto lindo. Seu blog é mto foofo. gostei (:

    ResponderExcluir
  13. Gostei do seu blog se der visite o meu blog...
    http://diario-mundoadolescente.blogspot.com/

    ResponderExcluir