Páginas

Sempre estarei contigo.


São Paulo, 23 de julho de 2010.

Minha linda, nunca fui tão bom escritor quanto você, mas decidi te deixar como presente ao menos um manuscrito decente. Como sei? Desta vez as válvulas presentes em meu coração estão entrelaçadas em minha mão esquerda descarregando toda a emoção que há em mim nas letras tortas deste canhoto que te ama como ninguém jamais poderá neste mundo ou em qualquer outro, amar. Deus, será que nem na hora da morte deixo que a modéstia torne-se presente? Você sabe que não... Certo dia até me falou que eu estava pronto para argumentar contra o diabo apresentando duas virtudes a cada defeito. Isso mesmo, sorria! Tenho certeza que após estas tolas palavras um sorriso torto, inclinando para a esquerda, surgiu em seu rosto. Querida... Perdão por não ter te dito nada antes, mas não pude, não suportaria te ver chorando. Parecia uma noite comum, não é? Você cansada e chateada com a minha ausência nos últimos tempos, aninhada em meus braços como uma criança com medo de levantar da cama à noite, dormiu novamente em meu colo, toda desajeitada. Ao levantar contigo em meus braços do sofá, você disse ainda de olhos fechados, referindo-se aos meus batimentos cardíacos: 
-Não... Quero continuar a ouvir a musiquinha.
Meu bem, não sabe o quanto me doeu ouvir sua voz baixa e rouca dizer isto... Mesmo após meses me preparando para o momento que está prestes a acontecer, você me deixa sem reações. Sempre. 
Te pus na cama e fiquei minutos parado, ouvindo somente a chuva e o som de sua respiração baixa. Após um tempo seus olhos se abriram, preocupados. Percebi pela maneira que eles me fitaram, que você ainda estava dormindo. Tantos foram os diálogos que tivemos enquanto você dormia que a experiência me indicou que amanhã você não se lembrará de sequer uma palavra que disse ou ouviu.
-Você tem que ir? - Me falou.
-Sim, querida. Eu preciso.
-Mas estou com medo...
-Eu sempre irei te proteger, mesmo bem longe. Eu amo você, tenha uma noite com sonhos bem grandes de lindos.
Você tentou sorrir torto para mim, em vão. Entrelacei em seus dedos, os meus. Beijei suavemente sua testa, sua bochecha direita, sua bochecha esquerda, seu queixo, seus lábios e por último, sorri ao atritar o meu nariz no seu.  Levantei da cama ainda de mãos dadas contigo e quando elas estavam prestes a se separar, vocês as segurou. 
Seus olhinhos amendoados piscaram mais vezes do que o normal, como sempre que você quer demais alguma coisa. Você não queria que eu fosse embora mesmo sem saber que eu poderia nem voltar... Não resisti. Voltei, deitei contigo e você se aconchegou novamente em meus braços deitando a cabeça em meu peito. Adormeci contigo embriagado com o perfume de seus belos cabelos dourados. Acordei há pouco, levantei após ter certeza de que você não despertaria... Meu coração não aguentaria a mais um golpe das meigas palavras saídas de sua boca. Querida, não fui corajoso o suficiente para te contar, então novamente te peço perdão. Mas me entenda... Não há por que ficar chateada! Você teve meu corpo, tem minhas letras escritas da forma mais legível e bela que me foi possível pôr neste papel e tem um gravador no fundo falso da nossa caixinha de madeira com milhões de "Sempre estarei contigo". Não chore muito, sei o quanto você detesta ficar borrada e não quero que seja novamente por minha causa. Agora você não pode tentar esbofetear meu rosto com socos leves como uma pena, eu não posso mais te abraçar forte e dizer o quanto te amo e o quanto fui idiota. Então, minha flor, pare com isto já. Trate de entortar esta boca num sorriso sincero e bonito de bom dia. Eu estou com você, eu sempre estarei com você e agora mais do que antes. Eu estarei contigo quando você acordar descabelada e linda, estarei contigo no seu trabalho torcendo pra te ver desafiar o seu chefe cretino, estarei contigo quando a dor apertar. Estarei ao seu lado quando o sol invadir as janelas do seu quarto, quando a primeira rosa desabrochar em seu jardim minúsculo. Estarei te esperando em qualquer lugar, em qualquer planeta, galáxia, estado de espírito. Estarei te esperando em qualquer dimensão, pois nem a morte é capaz de separar o que milhares de vidas passadas, trataram de unir.

Nossos corpos nem sempre podem estar aonde queremos, mas quando duas pessoas se amam seus pensamentos juntos podem ir a qualquer lugar. Feche os olhos e sorria, está recebendo um abraço mental. Se cuide por você, se cuide por mim.

John.







Eu bebi saudade a semana inteira.




Hoje o dia foi difícil. Não consegui ocupar a minha mente com nada que não fosse você. Hoje um garoto qualquer me abordou na rua perguntando as horas e paralisei naquele instante quando uma lágrima escapou de meus olhos. De repente tudo ficou escuro e nítido ao mesmo tempo... Podia sentir às minhas costas os monstros de minha alma, os mesmos que me perturbam à noite trazendo lembranças da época em que fui feliz. Faltaram-me palavras para responder àquele qualquer que te trouxe pra perto de mim por alguns instantes. Ele, coitado, paralisou também junto a mim sem conseguir compreender o que fizera, ou se fizera, ou o que havia acontecido. Por um momento ele ameaçou virar as costas e sair, foi quando mais lágrimas fugitivas escorreram. O rapaz segurou meus ombros e me sentou em uma das calçadas daquela rua quase vazia. Logo depois se sentou ao meu lado e enquanto eu chorava, ele me observava com aquele olhar tão confuso... Então segurou a minha mão, olhou nos meus olhos e me abraçou forte. Minhas lágrimas encontraram a manga de sua camisa e se familiarizaram com o local. Após alguns minutos, quando consegui conter meu choro e parecia estar mais calma, ele me indagou:



- Mas o que houve pequena? Por que minhas tão poucas palavras te fizeram chorar? O que fez com que esses seus lindos olhos perdessem a cor?
E continuava calada, temia não conseguir falar sem chorar. Ele então respeitou meu silêncio e ficou mais alguns minutos segurando minha mão. Foi quando respondi, ainda entre alguns soluços:
- É que quando chegastes perto de mim pude sentir o seu perfume que é o mesmo que o dele... Isso me deixou tonta e sem querer deixei escapar uma lágrima. Quando quase fostes embora seu olhar confuso me fez lembrar o dele, confuso como da última vez que o perguntei se me amava... Quando segurou minha mão e me abraçou, meu corpo desmoronou, meu coração ainda mais chorou e minha voz se perdeu garganta a dentro. Por último então, para apunhalar de vez meu coração, me chamastes de pequena e elogiou meu olhar, como ele fazia todos os dias.

O garoto então silenciou mais uma vez, depois me perguntou se já estava bem e partiu daquela rua vazia ainda sem saber da hora. Eu fiquei naquela calçada temendo levantar e encontrar outro alguém que me perguntasse as horas como você fez da última vez que o vi, quando queria o mais rapidamente possível partir... Fazendo-me assim lembrar que desde aquele dia o tempo passou devagar, sem sua mão segurando a minha, sem seu abraço para me confortar, sem você aqui, sem poder te amar. Hoje o dia foi difícil. Não consegui ocupar a minha mente com nada que não fosse você.


''O acaso me deixou tão só... Talvez eu ache algo mais forte, que faça eu me sentir melhor. Depois do que eu já andei, depois do que eu tenho que andar... Quem sabe outro dia eu te encontre em outro lugar.''






Vem cá.



Se tá ruim, se a tua louca crise alérgica te faz espirrar e é sinal que continuará a chover no teu quintal, calma, eu tenho o sol desde que você sorriu pra mim e ando com ele sempre no bolso, tipo um amuleto. Tá tudo certo. Se você tá de tpm, se alguém te magoou e você quer chorar.. Vem aqui, meu ombro continua sendo teu. Sempre será. Se você ainda tá confusa e se nada em tua vida melhora, não fica triste assim! Vou te encher de cóceguinhas até você morrer de rir. Porque você me faz bem quando chega perto com esse seu sorriso aberto. Olha, olha pra mim... Eu não vou sair daqui, mas também não vou chorar com você, pois aí quem te consolaria? Quero mudar a situação, quero ouvir a tua gargalhada estrambólica e engraçada, quero morder a tua bochecha e te fazer brigar comigo. Quero assanhar o teu cabelo e dizer milhões de vezes a mais pura verdade: "Você continua linda". Eu quero escrever pra você a mais linda de todas as cartas, te comprar um chocolate e te obrigar a deixar que eu pague a sua entrada no cinema, sua orgulhosa! Quero fazer pipoca e assistir um filme, quero comprar livros pra te dar de presente todo mês, porque é o que você gosta e ninguém te dá! Quero cheirar o seu pescoço pra que quando alguém chegar perto de mim com o mesmo perfume que o teu, possa eu como um menino sorrir. Então, largue de ser essa boba e saia debaixo dessa chuva, se esconde aqui e sorria de perto para mim, deixa que eu compartilhe contigo o sol que outrora me destes. Vem aqui menina, deixa eu te amar




Em escala cinza.



Doeu e dói. Tentei me controlar, mas algo dentro de mim está rasgando e arrasando mais e mais a cada minuto que passa. O coração tem acelerado mais do que devia, tem ameaçado parar de bater com mais freqüência, vejo tudo acontecendo outra vez. O orgulho ainda está residindo comigo na mesma casa e me acompanhando para todos os lugares que vou e você não se faz presente. Contigo sempre foi mesmo tão diferente... Todas as noites uma coisa estranha me faz deixar que o orgulho durma no sofá só pra trazer lembranças de nós dois para mais perto. Minha vida transcorreu perfeitamente bem desde que você partiu, ao menos aos olhos alheios... Agora a máscara está escorregando de meu rosto aos poucos, a mancha preta de maquiagem borrada ao redor dos olhos dá a impressão que estive chorando, e estive mesmo. A capa de mulher-maravilha sem sentimentos está no varal já faz um tempo e nem adianta esperar secar pra viver, pois no meu quintal só tem chovido e todo o verde daquela colina onde apreciávamos juntos o pôr-do-sol, simplesmente desapareceu. O céu pulou de azul para uma escala cinza e tudo que está no chão, é lama. Não tem sol nem brisa leve, só tempestades que levam embora o telhado de minha casa e de minha alma. Tô querendo um abraço apertado daqueles que tiram a gente do chão, quero tirar os pés do chão literal e não-literalmente. Quero beijo na testa e cafunés que não cessam nem no auge do descabelamento. Eu quero morrer de rir novamente. Toda essa parte é simples, o quebra-cabeça começa quando o sujeito da oração tem que ser você que é tão distante, tão proibido. Essa de que os opostos se atraem nunca funcionou bem comigo, mais difícil que lidar com o oposto é suportar o comum, os nossos próprios defeitos refletidos na face alheia. E foi por isso que me apaixonei por você, porque nós dois somos iguais. Quero que saibas que todos esses contos de amor que escrevo é para guardar em mim e assim eternizar todos os nossos momentosQuero que saibas que para ser feliz eu necessito enxergar o mundo com os mesmos olhos de dois anos atrás, quando você chegou de mansinho e encarou-os pela primeira vez.