Páginas

O músculo mais forte do nosso corpo.

Já faziam anos e durante boa parte deles havia perdido seu tempo culpando-se. Ela lhe estalou um beijo na testa, apertou com toda a força que tinha e que era pouca comparada à dele, as grandes e nada delicadas mãos contra seu peito, deu-lhe um sorriso melancólico com ar de ''sinto muito'' e partiu sem dar demais explicações. Com um aperto no peito ele sentiu que seria a última vez que a veria e mesmo diante de tal situação, o orgulho impediu que fizesse algo. Por necessidade passou a odiá-la, chegou sozinho à conclusão de que seu coração definharia caso permanecesse sustentando aquele amor. De fato estava certo, porém sofreu por tempo demais e aquele ''músculo idiota'', como gostava de chamar, não era como antigamente. Interrompendo esse pensamento, recordava da voz que dizia que o coração é o músculo mais forte do nosso corpo. Deixou de ter autopiedade e por amor próprio tornou a ser um homem frio. Foi o dominador de todos os seus relacionamentos posteriores, que acabavam pela sua incapacidade de dizer o que sentia. Sentia falta por alguns dias, depois esquecia de cada mulher que passara pela sua vida e fora embora. Exceto, é claro, Dela. Havia se habituado à solidão e não fazia esforços para mudar. Escancarar sentimentos e dizer belas palavras não seria a solução, pois já havia experimentado fazer isso e somente Deus, caso existisse, saberia o quanto aquilo lhe fizera mal. Um filme contendo todas as lembranças boas e ruins passou em sua mente naqueles dois segundos em que olhava a folha depois de lida.


Amassou o papel e os seus olhos se encheram de lágrimasE aquela foi a primeira vez em que chorou por uma mulher. Guardou a pequena bola branca no bolso e sentiu-se irritado pela forma que ela ainda o conhecia. Por mais alguns segundos odiou aquela mulher com todas as suas forças. Depois veio o peso da preocupação, ela estava doente. "Esteve, no passado, ela falou que esteve, seu idiota!", corrigiu-se. Passou a mão pelos cabelos num ato de desespero, viu seu reflexo decadente nas cinqüenta polegadas da tv desligada e contra seu próprio orgulho percebeu o quanto a amava cinqüenta polegadas a mais do que a odiava. Era uma cartinha sem endereço, sem selo do correio. Provavelmente tinha sido jogada pelo buraco da porta por ela mesma. Estremeceu ao pensar que ela havia estado ali. Tirou do bolso o papel, desamarrotou e o apertou contra o peito do mesmo modo que fizera a mulher que ele mais amou cinco anos antes com suas mãos. Quinze minutos depois estava batendo na porta da casa dela com um lírio na mão direita e o coração na esquerda. A maçaneta girou, a porta abriu e atrás dela uma mulher completamente careca sorriu com os olhos marejados. Após um minuto inteiro que passaram se olhando, ela foi a primeira a falar. 
- Eu sabia que você viria.
- O coração é o músculo mais forte do nosso corpo, lembra? 


"Este amor que é
o túmulo onde jaz meu
corpo para sempre sepultado." (Vinícius de Moraes)




17 colecionadores!:

  1. Retribuindo a visita *-* Você escreve tão bem Rai, que linda! :3 Eu penso que o músculo mais forte do corpo é ironicamente o mais fragil...
    http://www.dinhacavalcante.com/

    ResponderExcluir
  2. Esse texto é uma lição.
    Julgamos tanto as atitudes do outro, e em relação a tudo. E nos esquecemos sempre que a um humano que : ama, chora, sente - do outro lado.
    Acho que o maior amor é aquele que deixa o outro livre a escolhas.

    ResponderExcluir
  3. Caraca! O.O
    que surpresa eu tive agora ><
    Seu conto ficou tão bonito, Railma. Fico imaginando você tendo inspiração e correndo pra escrever pra não perder a ideia. Mas eu acho tão injusto largar quem ama assim, sem dar explicações =[ mesmo que tenha ótimos motivos. Mas isso é uma prova de amor, mesmo que doída!
    Adorei a ideia de colocar uma carta no meio do texto. Novidade pra mim, isso!
    parabéns, viu? ficou muito bom mesmo...
    e bjs pra vc ^^

    ResponderExcluir
  4. Que texto lindo! Você escreve super bem, fico viajando em cada frase. Parabéns!

    http://www.garotasdizem.com/

    ResponderExcluir
  5. Caralho,que perfeito.
    Seu conto ficou muito lindo e você soube bem como passar o sentimento do rapaz, que com toda certeza foi puro e verdadeiro por todos esses cinco anos. E o dela também foi, mas ela preferiu não meter seu amor nisto,achei fofo e forte, ameiiii :)
    http://senhoritaliberdade.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Está perfeito demais! O texto me surpreendeu e está longe do que vemos por aí. Você escreve muito bem, tem talento, hein. Já estou seguindo o blog. Beijo.
    _________________
    http://classicheap.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Me arrepiei desde o início do conto e no final então mais ainda. Belíssima a forma como você contou. E concordo com o comentário do Trecos que disse : " Acho que o maior amor é aquele que deixa o outro livre a escolhas" é a pura verdade!!! Parabéns pelo lindo texto e pelo belo blog!

    ResponderExcluir
  8. Gente, que linda a citação do Vinícius, essa eu não conehcia ainda, rs

    beijos!

    ResponderExcluir
  9. Nossa! Hoje eu tirei o dia para visitar blogs, ler posts e comentar em alguns. Disse alguns, pois li muitos e confesso que teu blog, teus textos são carregados de emoção e sentimento. Gostei tanto que, com certeza, voltarei, pois fiquei por aqui!

    Até breve.

    http://compartilhandosentidos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. As pessoas julgam demais os outros e se esquecem que também de telhado de vidro.

    ResponderExcluir
  11. Que lindo! É aquela velha história de que o que é nosso nunca se vai para sempre, não é isso?
    Adoro finais felizes.

    ResponderExcluir
  12. Oi estava visitando alguns blogs e encontrei o seu blog adorei...
    Já estou seguindo

    http://marifriend.blogspot.com/
    @Storieandadvic
    Espero sua visitinha, adoraria que você seguisse também.
    beijo

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Vc ta cada vez melhor heim ^^

    Vai usando esse blog como treinamento para quando for escrever o seu livro. =)

    bjos

    Vc ta cada vez melhor heim ^^

    Vai usando esse blog como treinamento para quando for escrever o seu livro. =)

    bjos


    Felipe Sali

    ResponderExcluir
  15. Dizer que estou super encantada com o texto não exprime nem um pouquinho do que eu senti ao lê-lo! Adorei mesmo Railma, parabéns!

    ResponderExcluir
  16. Awn que liindo:)
    Mas é assim mesmo, quando amamos de verdade, algumas vezes acabamos precisando deixar o outro. Para o bem, dos dois, mas se for verdadeiro, o amor nunca acaba, permance intacto e algumas vezes até cresce, mas morrer nunca morre.
    Beiijos*-*
    http://cartasp-voce.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. parabéns, você melhora a cada dia

    ResponderExcluir