Páginas

Da vida, do destino.



Ele estava lá, como sempre esteve e jamais deixaria de estar. Ela continuava a mesma, com sua mania de importar-se demais e com todo aquele sentimento intacto. O travesseiro dele era coberto por ácaros pensantes... Seus sonhos mirabolantes grudavam naquela fronha e o nome dela estava por toda a parte. O travesseiro dela sentia frio, toda noite chovia e era salgado, corrosivo... Eram lágrimas, doíam demais. Havia outras garotas e outros garotos... Ela ouvia coisas sobre elas, mas quando o assunto era sobre eles o rumo da conversa mudava. Ele foi o primeiro a se apaixonar, ela a primeira a relutar... Ele não falou, ela não perguntou. Ele quis esquecer quando ela insistiu em lembrar. Dúvidas, muitas dúvidas. Tanto orgulho pra quê? Todo mundo sabia, eles negavam. Tanto medo pra quê? Pra não ter o coração partido, pra não sofrer, ninguém ali queria chorar. Pra quê? Pra quê? Corações foram partidos, dois pares de olhos regavam seus rostos. Ela decidiu ir, ficar ali só iria piorar... E buscava feições dele em qualquer cara que lhe desse um bom dia, ele procurava em todo mundo um sorriso mais bonito que o dela e tudo aquilo era vão. Como lidar com a ausência e a falta daqueles abraços? Pra onde correr quando o conforto só podia estar naquele colo, naqueles braços? Tentar ignorar era a única solução. Ele ergueu a cabeça, ela curvou o olhar, ele tomou o seu rumo e ela tomou todo o cuidado pra seguir o caminho oposto. Passaram anos, ele tornou-se um homem de negócios conhecido na alta sociedade, mais constante que as mulheres em sua vida era a solidão. Ela formou-se em psicologia, via magia em tentar entender cada comportamento, era lindo poder ajudar. Nos finais de semana cuidava de sua floricultura (puro hobby) e foi lá que o reencontrou, em um domingo nada movimentado enquanto lia pela enésima vez a antologia poética de Vinícius de Moraes. Não demoraram dois segundos para se reconhecerem e já sentiram os batimentos acelerarem. Eles se olharam nos olhos, mas não chegaram sequer a trocar um abraço ou a cumprimentar-se com dois beijinhos no rosto. Ele havia tornado-se um homem frio demais e o orgulho sempre foi uma característica forte na personalidade de ambos. Ele entrou pra comprar flores pra mãe, ela pensou que fosse pra namorada sem saber que ele queria que sua namorada fosse ela. Quando ele estava quase cruzando a portinha estreita de saída e ela já tinha voltado a ler seus poemas, ele hesitou. Voltou ao balcão, deu mais um sorriso, pôs em cima da mesa seu cartão com número o do telefone, arrancou o livro de suas mãos e colocou-o na posição correta de leitura. 

- Você lendo o livro de cabeça pra baixo e eu com medo de lhe entregar meu cartão. - Disse.
- É... Não mudamos nada mesmo. - Sorriram.

No outro domingo ele lhe trouxe uma fita cassete com poemas de Neruda e eles ouviram juntos. Seus amigos de farra começaram a chamá-lo de "seu babaca" e sua mãe de "filhinho", feliz da vida em ganhar flores toda semana.





28 colecionadores!:

  1. Que texto bonito.
    Eu vivo sonhando com um desfecho desses para um relacionamento antigo que ainda carrego comigo.

    ResponderExcluir
  2. "Adorei o brilho do texto, teve contato comigo e me fez luz para te ver ao pensar sobre a vida"


    partodelua.blospot.com

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo
    Adoro romance :)
    Feliz Ano Novo ^^
    http://cantinhocomtudo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. awn que lindo!

    e eu amei o layout do seu blog *_*

    ResponderExcluir
  5. Incrível, viu? Parabéns.
    Seu jeito de escrever é parecido com o meu. Continua assim, beijos

    ResponderExcluir
  6. Poxa moça, que doces as suas palavras. Adorei o texto, adorei o blog. Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Nossa lindo texto adorei , seu blog ta lindo de verdade. e claro que estou seguindo!!!! parabéns

    ResponderExcluir
  8. Ai, que doce o texto. Parece até aquelas comédias românticas tri levinhas. Tão bom pra sorrisos bobos, haha. :)

    :*

    http://hey-london.net

    ResponderExcluir
  9. Que lindo conto, mostra como tudo que deveriamos ter mesmo é coragem, porque de que adianta não tentar e passar a vida se lamentando?

    Bjin*

    http://deardiary-sucker.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Que lindo texto *-* Adorei como a história ficou simples e gostosa de ler, roubando sorrisos o tempo todo.
    http://www.dinhacavalcante.com/

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde.
    Desculpa o incomodo, mas venho hoje pedir que olhe com carinho meu blog de resenhas literárias, o O Leitor.
    Se puder fazer parte, agradecemos.

    Obrigada e uma ótima segunda-feira. Beijos,

    Pamela.

    ResponderExcluir
  12. Que lindo texto.
    Os amores sempre se reencontram, o destino sempre cuida disso.
    http://senhoritaliberdade.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Beleza de sentimento, pureza de palavras!
    Muito belo!

    ResponderExcluir
  14. O que é pra ser acontece. Quando temos de estar com alguém, mesmo que tudo dê errado o destino sempre se encarrega de reaproximar as pessoas. É verdade.
    Amei seu texto, de verdade. Você escreve muito bem. Bjo.

    http://miasodre.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Achei super emocionante o seu texto, você se expressa muito bem. Foi o texto mais lindo que eu li nos últimos dias, pelo menos foi o que mais me tocou. Fiquei com uma vontade de uma continuação dele, o que você acha? Adoraria saber mais sobre esses personagens...Acho que de alguma forma eu me identifiquei. Beijos


    primeirapessoa-dosingular.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Você escreve adoravelmente! awn *-*
    amei a história e me identifiquei muito, risos.
    belo blog para ser sempre lido! ficará nos links favoritos! Parabéns! Beijos!

    http://hug-free.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. Que texto romântico, senti o amor com que você escreveu ele. Beijos amiga ♥

    http://foi-mau.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Awwwwwn que liiindo, e é por isso que sempre digo, não importa o que tempo que for, não importa se o destino os separar, se é pra ser, vai ser!
    Beiijos:)
    http://cartasp-voce.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  19. Adorei o texto,
    não ando muito de bem com a vida nesses dias,
    mais animou !

    ResponderExcluir
  20. Oi, tudo bem?
    O Refúgio das Palavras começa 2012 com grandes novidades e vim lhe convidar para conferir.

    http://iasmincruz.blogspot.com/2012/01/novidades.html

    Tenha um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  21. Parabéns pelo blog, lindona! Estou seguindo :)

    http://blogamandarodrigues.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  22. Que lindo! Adorei como você arrematou o texto. Ficou bem fechado, e o texto ficou sensível. Parabéns! Beijo

    http://biacentrismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  23. Q blog mais lindo, menina,ameeei e já to seguindo, visita o meu blog ,ficarei muito feliz se vc seguir, bjos

    http://toquaseprontaprasair.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  24. Awn, sempre perfeitos teus textos. Amei muito, esse ano me formo e já estou com saudades,rs.
    Beiijos
    http://cartasp-voce.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  25. Sou uma eterna admiradora de teus textos.

    ResponderExcluir
  26. Não somos capazes de lutar contra o destino, contra o tempo e contra tudo que nosso insistente coração quer. Adorei a história Railma, você cativa com suas palavras e isso é raro.

    Beijão. :*

    ResponderExcluir
  27. Lindo Texto!
    se você continuar assim , você vai muito longe!

    ResponderExcluir