Páginas

Da boca do cupido.




Sentada naquele velho banco de praça com a madeira já descascando, estava uma menina. As lágrimas nos olhos permaneciam presas, certamente com muita garra. Ficavam ali até evaporar e embaçavam as lentes de seus óculos de grau. Era míope, certamente. Ao seu lado estava um garoto tentando incansavelmente segurar as pequenas mãos dela, que recuavam constantemente de uma maneira tão brusca e ao mesmo tempo tão delicada. Pra quem aquilo estava sendo mais difícil, sinceramente, não sei lhe dizer. Só sei que em ambos doía muito, era visível. Fui me aproximando e parei bem na frente dos dois, agradecendo a Deus por eles não terem a capacidade de me enxergar. Ele se desculpava, implorava por perdão, nunca vi tão jovem e tão triste coração. Amargurado, arrependido, estraçalhado. Mil e um ainda era pouco para enumerar em quantos pedaços estava partido. Ela ficava calada o tempo inteiro, apenas ouvia. Seu esforço para ter uma face inexpressiva era vão, pois qualquer um que ali passasse sentiria um nó na garganta somente em olhá-la. Ele confessava-lhe o amor que sentia por outra, não mulher, mas estado. Ele queria prender-se somente à liberdade. Imagine, coitadinha. Quis morrer, contudo, continuou. O menino pedia perdão novamente e mais uma vez, queria ao menos sua amizade. 
- Tentar ficar amigos sem rancor? A emoção acabou. - Foram as primeiras e últimas palavras que ela pronunciou.
Escorreu uma lágrima no rosto dele, dos lábios saiu um "adeus", dos olhos mais um "me desculpe"... Seu cérebro dizia "é o certo", seu peito gritava que "nunca vou gostar de ninguém assim". Suas pernas tremeram pelo que viria. Não o culpo, ele só tinha medo e não sabia como lidar com isso... Tinha ouvido a vida inteira que adolescente é jovem demais pra amar. E se foi, mesmo quando tudo que mais queria era ficar. Ela ficou sentada por ali um bom tempo, sem coragem de ir pra casa com medo de que, pela primeira vez, não conseguisse fingir. 
Eu tive vontade de puxá-lo pela orelha e amarrá-lo nela pra sempre. Mas eu já fiz o meu papel, não é sempre que posso intervir, já os flechei uma vez. É triste, mas agora só posso esperar que se encontrem outra vez e façam diferente. E vão se encontrar, tá escrito. Nasceram um pro outro, só não têm total consciência disso.



  

16 colecionadores!:

  1. "dos olhos mais um me desculpe" - Às vezes os olhos são muito mais sinceros que a boca, né :)

    Beijos,
    http://confesionesenpalabras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Sou super sua fã, acho que já mencionei isso aqui várias e várias vezes. Sou apaixonada pelos seus textos que são tão profundos e cheios de sentimentos, me cativa demais.. Você tem muuuito talento, garota. Me sinto até redundante em dizer que ameeeei demais esse texto, simplesmente incrível, perfeito.
    http://primeirapessoa-dosingular.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Nossa Railma que lindo texto e confesso me deu aquele nó na garganta, sei bem como é ouvir um "apenas amigos" no começo dói mas sempre superamos, mas se esses dois ainda estiverem um amando o outro essa história ainda não acabou.
    Beijooos
    http://psmylove4ever.blogspot.com/2012/03/aprendi.html

    ResponderExcluir
  4. Ah Ra, que bonito... Não sei não, mas acho que conheço alguns garotos que como esse garoto tem medo de amar também, mesmo amando se afastam... Mas se for pra ser será, não importa o quanto demorem nem quantos desencontros ajam.

    ResponderExcluir
  5. Oi Railma, gostei do seu estilo! Muito bom.
    Como você viu, também escrevo bastante em primeira pessoa :D

    Estou te seguindo, se puder retribuir, agradeço.




    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Awn que texto lindo, me fez refletir tanto..., Quantas vezes não fazemos isso, não? Preferimos a vida de "liberdade" quando não percebemos que já a possuímos junto de algo mil vezes melhor...
    Adorei demais esse texto!
    Bjin*

    deardiary-sucker.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. É tão difícil desfazer-se de um amor. Senti a dor da menina, imaginei seus traços e seus pensamentos. Mas bem ou mal, tudo tem um motivo para estar acontecendo e talvez a história deles não tenha terminado, só teve uma pausa.

    Railma, palavras assim me encantam, histórias que me permitem estar em cada linha me deixam deslumbrada. Obrigada por tuas palavras, você escreve maravilhosamente bem.

    #saudadesdaqui.♥

    ResponderExcluir
  8. Que texto hein.
    Me fez lembrar de algumas despedidas e como é ruim dar adeus a alguém que queremos nos prender para sempre.
    Adorei o texto, e espero que eles tomem consciência que foram feitos um para o outro 8----8

    ResponderExcluir
  9. Nossa, que legal ver a história contada por um cupido *-*
    achei muito legal, porque ele pode saber exatamente o que eles sentem, e se sentir culpado por tê-los flechado. Cara, achei muito genial esse final *-*
    E dizer que as almas deles foram feitas um para o outro... Genial. Parabéns *-*

    recantodalara.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Que texto lindo, me senti como personagem da história, encantei com cada palavra e senti cada sentimento.

    Quanto tempo mesmo, heim? Lembro de quando conheci aqui, faz tempo. Obrigada pelas palavras lá. Vou está mais presente aqui.

    http://iasmincruz.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Olá Railma
    Puxa que belo texto.
    nem sempre o cupido acerta né.
    Mas sempre vai valer a experiencia e
    aprender com os nossos erros para não repeti-los
    grande abraço
    Fernando dos Santos

    http://fernopinari.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Belíssimo texto. Escrito com cuidado. :3

    http://worse-or-better.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Como sempre, escrevendo tão perfeito né?
    Esse texto foi uma fofura só. Queria conhecer o meu cupido, pra arrancar algumas informações dele. Esse texto daria um otimo conto de partes *-*

    Beijos,
    Monique <3

    ResponderExcluir
  14. Oi Railma, tenho mais um texto no blog:
    http://reflexoesdo719r.blogspot.com/

    Ficaria honrado em ter você como leitora.


    Abraço.

    ResponderExcluir
  15. Escuto essa música do Cazuza e me desmancho em lágrimas. rsrs
    O problema é que, às vezes, há uma diferença enorme entre o que a razão diz o que o seu sentimento quer. Qual seja a sua escolha sempre vai sair alguém machucado seja agora ou daqui a uns meses.

    ResponderExcluir
  16. Ow meu deus ): que dó no coração ao ler isso ): e o pior é que ocorre tanto desses fatos por ai . é decepcionante. ): mas acho muito difícil se reencontrarem, a gente às vezes perde a nossa alma gêmea pra sempre. Eu me pus na situação dela por um momento... mas também me pus na situação dele. É complicado... mas acho que se a gente seguir o coração ao invés da razão, quando algo der errado a gente vai ficar culpando a outra pessoa. E mts vezes a razão grita mais alto ):

    ResponderExcluir