Páginas

Sou um rascunho, pelo jeito a mão tremia...

      Quando ganhei o meu primeiro computador (lá pelos dez anos de vida) e a internet era discada, o que me distraía era abrir o Paint, jogar um balde de tinta na tela e, com a borracha, ir abrindo caminhos e dando vida a desenhos. Sempre tive a cabeça lotada de ideias e cenários para músicas que eu gostava, mas nunca tive (nem tenho) a habilidade de colocar isso em papel. Minha relação com o lápis e a folha sempre se limitou à escrita. 

      Há algum tempo, baixei o aplicativo "Paint" no celular, por motivos parecidos com os que me fizeram usar o programa antigamente: falta do que fazer e internet lenta. Apesar de não desenhar bem, não ter coordenação nem muito senso, comecei a perceber que tinha algo comum a todos os desenhos que eu fazia, passei a gostar deles por isso. É como se refletissem algo de mim. Todos foram inspirados em músicas que me tocam e o resultado vocês conferem abaixo. Não espero que alguém goste, mas esse blog é o lugar que mais fala sobre mim e acredito que essa minha vertente merecia estar aqui também.


Mas também quero te mostrar
Que existe um lado bom nessa história
Tudo que ainda temos a compartilhar
E viver e cantar...

(Céu azul - Charlie Brown Jr.)



Vem me fazer feliz, porque eu te amo
Você deságua em mim, e eu, oceano
Me esqueço que amar é quase uma dor.

(Oceano - Djavan)



O céu está no chão
O céu não cai do alto
É o claro, é a escuridão
O céu que toca o chão
O céu que vai no alto
Dois lados deram as mãos...

(Dois rios - Skank)




Vão tentar derrubar
Que é pra me ver crescer
E, às vezes, me matar
Que é pra eu renascer
Como uma supernova que atravessa o ar
Eu sou a maré viva
Se entrar vai se afogar.

(Maré viva - Fresno)



Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu.
(Eu te amo - Chico Buarque)




Como, se nos amamos feito dois pagãos
Meus seios ainda estão nas tuas mãos
Me explica com que cara eu vou sair.

(Eu te amo - Chico Buarque)




Não fique tão aflita se algo desandou
Vamos pedir proteção à Mãe Natureza
Para que o brilho do amor possa em nossa vida chegar.

(Não chore meu amor - Natiruts)



Só não precisa rir de mim, né?

A primeira imagem aparece com melhor qualidade porque eu troquei de celular, o restante são frutos do meu antigo Windows Phone.

Para finalizar, a música que define todas as imagens deste post (e a minha personalidade):

Fica pra outro dia
Ser um obra prima
Que não fede nem cheira
Não fode e nem sai de cima.

(¡Tchau Radar! - Humberto Gessinger e Esteban Tavares





Rabiscada, assimétrica (mas, sempre colorida)
Railma Medeiros