Páginas

Nós.

Fonte: http://weheartit.com/mariananarumi


Acabei de acordar, despertei assustada de um sonho em que te perdia: eu cometia um erro imperdoável e você ia embora da minha vida. Acordei e tudo não passou de  uma ilusão ruim, fruto da minha imaginação perturbada, talvez filha do meu medo de ter que me despedir. Apesar dos pesares, dos nossos erros, de todos os medos que desenvolvemos no decorrer dos tempos difíceis, apesar das quedas... Somos nós. Não conseguimos deixar de ser em momento nenhum. Nem levados pela incerteza, pela instantânea raiva, pela distância ou pela opinião dos outros. Somos nós, um pelo outro estamos aqui, até quando estamos feridos e proferimos palavras igualmente doloridas. Somos nós porque, apesar dos destroços, um pelo outro, conseguimos sorrir; porque das nossas piadas só existimos nós para enxergar a graça. Seja na glória da vitória ou massacrados pela derrota, sonolentos ou insones, no prazer da cama e nas conversas que insisto em querer ter antes de dormir... Há amor. E quando um pesadelo me assombra eu ainda penso na gente numa viagem à praia para me acalmar.

Nessa montanha russa que é você, eu apertei o cinto e tomei um dramin. Sempre estarei aqui.

"Abre a janela agora
Deixa que o sol te veja
É só lembrar que o amor é tão maior
Que estamos sós no céu
Abre as cortinas pra mim
Que eu não me escondo de ninguém
O amor já desvendou nosso lugar
E agora está de bem."

Railma Medeiros